quarta-feira, março 23, 2011

Canta o Iluminismo

Iluminismo

Que o burguês não parava de crescer
Sustentava o poder, não dá pra negar.
Via na ciência algo divinal.
Tudo que era feudal ía sepultar.
Enciclopédia em busca da verdade
Viu a luz da realidade.
Quis concretizar.

No espírito, Montesquieu queria três poderes.
Voltaire afirmava que humanos seres
Eram ignorantes que a Igreja fez.
Rousseau assinou "contrato" com a democracia.
O Liberalismo quis a economia, sem intervenções, longe das mãos dos reis.

Pois a mão invisível garantiria tecnologia,
Preço justo e salário que conseguiria.
Dar dignidade, ser sempre consumidor.
Pôs a mão
Nos privilégios do rei, Igreja e nobreza.
O despotismo esclarecido pela luz burguesa
Evitou revoluções e o poder preservou.