terça-feira, novembro 30, 2010

A Escola no Antigo Egipto

"As crianças no Antigo Egipto ficavam com a mãe até a idade de quatro anos. Durante estes anos, era incutido nas crianças um grande respeito  pelas mães. A partir dos quatro anos de idade, a educação dos meninos ficava a cargo dos pais. (...)
Os filhos normalmente seguiam a mesma profissão que o seu pai praticou. Algumas crianças frequentavam uma escola de aldeia generalista, enquanto outros participavam numa escola projetada para uma carreira específica, como a de sacerdote ou de escriba.
As escolas ensinavam escrita, leitura, matemática e desporto, bem como moral e boas maneiras.
Na idade de quatorze anos, filhos de agricultores ou artesãos juntavam-se aos seus pais nas suas profissões. As crianças cujos pais tinham carreiras de status mais elevado continuavam a sua educação em escolas especiais, geralmente ligadas aos templos ou centros governamentais.



Este nível mais elevado de escolaridade incluía aprender o que era chamado de "instrução da sabedoria." A "Instrução de Sabedoria" incluía aulas sobre ética e moralidade. Neste nível de educação também se desenvolviam as habilidades necessárias para exercer cargos mais elevados, como o de médico ou de escriba. (...)

Muito poucas carreiras estavam abertas para a maioria das mulheres. Enquanto a maioria das mulheres era treinada para a maternidade e para ser uma boa esposa, algumas meninas podiam aprender a ser bailarinas, artistas, artesãs, ou padeiras. Somente as filhas de nobres ricos aprendiam a leitura ou escrita. A maioria das mulheres egípcias eram ensinadas em casa pelas próprias mães."




Este seria o aspecto de uma aula no Antigo Egipto